A UTI neonatal do Instituto de Saúde Elpídio de Almeida (ISEA), em Campina Grande, foi interditada nesta terça-feira (17). O Conselho Regional de Medicina da Paraíba (CRM-PB) aponta a presença de uma bactéria resistente que pode ter causado as mortes de três crianças nas últimas 24 horas.

Conforme informou a direção do CRM, a superlotação e excesso no fluxo de pessoas podem ter favorecido o surgimento da bactéria, conhecida como pseudomonas kpc. A interdição determinada pelo CRM é válida a partir das 0h da quarta-feira (18). No entanto, as atividades já foram suspensas no local, que passou por uma desinfecção.

A assessoria de comunicação da Secretaria de Saúde Campina Grande informou que não há confirmação sobre a relação da bactéria com as mortes e que as crianças que estão hospitalizadas serão transferidas.

Ainda de acordo com o CRM, a UTI deve ficar interditada por tempo indeterminado, até que a situação seja resolvida.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.