O secretário de infraestrutura da cidade de Parari, no Cariri da Paraíba, assassinado a tiros no dia 28 de novembro, foi morto por vingança. A informação foi divulgada na manhã desta sexta-feira (30) pelo delegado de homicídios da Polícia Civil, João Joaldo, responsável pelo caso. Segundo o delegado, o crime tem motivação política e as primeiras investigações da Polícia Civil apontam que há mais pessoas envolvidas no caso.

“A gente não tem dúvida, o caso foi uma execução. O secretário foi morto a tiros no meio da rua e nada foi levado pelos suspeitos. E pelo histórico da vítima, as investigações da Polícia Civil apontam que o crime foi por vingança”, disse o delegado.

De acordo com o delegado, um dos suspeitos preso pelo assassinato de Adriantônio Cavalcante de Queiroz deu nome falso à polícia. No momento da prisão, o homem apresentou identidade falsa e se identificou como Cláudio Barros da Silva. Após investigações, a Polícia Civil descobriu que o verdadeiro nome dele é Fábio Wanderson do Nascimento, de 30 anos, foragido da Colônia Penal de Sousa, no Sertão.

Polícia prende dupla suspeita de assassinar secretário no Cariri (1)

“O Fabiano, investigado por vários homicídios na região, é extremamente frio. Ele e o outro suspeito preso pelo crime negam tudo, mas as investigações apontam que os dois teriam recebido vantagem econômica para cometer o crime”, afirmou o delegado.

O outro suspeito detido é Carlos Sérgio Trajano da Silva, de 32 anos. As prisões aconteceram ainda na noite do dia 28 de novembro, no Sítio Pipa, zona rural de Santo André. Segundo o delegado, após o crime a Polícia Militar iniciou a busca pelos suspeitos.

Ainda na manhã da quarta (28), em uma casa da região, os policiais encontraram uma motocicleta e um carro que teriam sido usados para a fuga dos criminosos. Dentro do local ainda foram apreendidas quatro munições intactas e uma espingarda calibre 12. A moto e a arma usadas no crime não foram encontradas.

Secretário suspeito de envolvimento em homicídios
Ainda segundo o delegado João Joaldo, o secretário de infraestrutura de Parari já havia sido preso em 2016 suspeito de envolvimento na morte do ex-vereador da cidade, Josinaldo Pedro, mais conhecido como Chorinho. Adriantônio Cavalcante foi preso próximo à um Posto da Polícia Rodoviária Federal, após um mandado de prisão preventiva expedido pela Justiça.

O ex-vereador Josinaldo Pedro foi assassinado no dia 10 de dezembro de 2015, na casa dele, no Sítio Campo Grande, zona rural de Parari. Na mesma época, no dia 26 de setembro, o primo de Adriantônio Cavalcante, o ex-vereador de Parari Jocélio Cavalcante, também foi assassinado a tiros na cidade de Taperoá.

“Quando acontece isso, as famílias querem vingança e é lamentável porque isso não tem fim. Uns são presos e outros ficam soltos, então tudo continua”, lamentou o delegado.

Secretário morto a tiros no Centro de Parari
O secretário de Infraestrutura da Prefeitura de Parari, no Cariri da Paraíba, foi morto a tiros na manhã desta quarta-feira (28). De acordo com a Polícia Civil, Adriantônio Cavalcante de Queiroz estava em frente a um mercado no Centro da cidade quando dois homens chegaram em uma moto e atiraram contra a vítima.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

− 4 = 5