Quase 40% da água potável se perdem antes de chegar às torneiras da população paraibana. A constatação faz parte de um estudo divulgado pelo Instituto Trata Brasil, nesta quarta-feira (5), que tem como base o ano de 2017.

De acordo com o levantamento, o resultado alcançado pelo estado coincide justamente com a média alcançada pelo país: 38%. No cenário regional, a Paraíba fica em 2º lugar no ranking, só perdendo para a Bahia na região Nordeste. Isso significa que para cada 100 litros de água captada, tratada e pronta para ser distribuída, 38 litros se perdem pelo caminho devido a vazamentos, erros de leitura nos hidrômetros, furtos, entre outras causas.

Para se ter uma ideia, o volume desperdiçado em todo o país seria suficiente para encher sete mil piscinas olímpicas por dia. No tocante ao montante que deixou de ser arrecadado, o prejuízo ultrapassa os R$ 11,3 bilhões, valor maior do que foi investido no setor no mesmo período.

Campina Grande possui menor perda

A cidade de Campina Grande, no Agreste paraibano, se destaca por possuir o 10º melhor índice do país no ranking das perdas na distribuição. Segundo o estudo, a Rainha da Borborema registrou uma média de 23,49% no desperdício da água pronta para ser distribuída.

Campina Grande também é o município com menor índice de perdas de faturamento em todo o país, com -2,72%. O resultado da Paraíba nesse aspecto é, em média, 31,42%.

O Trata Brasil 2019 utiliza os números de 2017 do Sistema Nacional de Informações sobre Saneamento (SNIS). O índice de perdas por ligação avalia o nível de perdas da água efetivamente consumida em termos unitários. Já o de faturamento total mede a água produzida e não faturada, levando em conta o volume de serviços.

O índice de perdas na distribuição se refere à diferença entre a água produzida e a efetivamente consumida, tanto medida quanto estimada. Por exemplo, é o desperdício que acontece quando o hidrômetro está quebrado, assim como o que se perde devido a vazamentos e ligações clandestinas.

O que diz a Cagepa

Apesar desse percentual de 40% de desperdício, a assessoria da Companhia de Água e Esgotos da Paraíba (Cagepa) informou que, pelo quinto ano consecutivo, o órgão se mantém no topo do ranking das empresas de saneamento do Nordeste que menos desperdiçam água.

Conforme novo estudo do Instituto Trata Brasil, a Paraíba é o Estado nordestino com menos perdas por ligação (239 litros/dia) e o segundo com melhor índice de perdas na distribuição (38%), muito abaixo do que a média da região (46,25%). Campina Grande também se destaca no levantamento, como o município com menos perdas por ligação do Brasil, com 101,79 litros/dia.

Queda no índice

Ainda conforme a Cagepa, a Paraíba vem apresentando, historicamente, uma queda no índice de perdas na distribuição de água: o Estado registrava 48% em 2011; ou seja, já reduziu 10 pontos percentuais, até o último estudo divulgado.

De acordo com o presidente da Cagepa, Marcus Vinícius Fernandes Neves, a perspectiva é que esses dados devem ser otimizados nos próximos levantamentos, tendo em vista que o estudo analisa dados de 2017 e, de lá para cá, várias ações foram implementadas.

“Estamos focados no combate a perdas e modernização dos processos, automatizando os sistemas e priorizando a agilidade no tempo de retirada de vazamentos. Também intensificamos a fiscalização de águas cortadas e desvios fraudulentos. Todas essas ações, somadas às obras já entregues e as que estão em andamento, certamente, irão minimizar ainda mais as perdas e elevar a eficiência da Cagepa junto à população”, afirmou.

Plano estratégico

A estratégia da administração da Cagepa, conforme foi informado, é gerida a partir de um plano de ação a médio e longo prazo. Marcus Vinícius ressalta que a prioridade no plano estratégico de 2019 é justamente a redução de perdas na distribuição e no faturamento de água.

“Definimos, para esse período, alguns objetivos e estratégias que envolvem: redução de desperdício de água e energia mediante a automação dos sistemas, elevação do nível de satisfação dos clientes e a melhoria da gestão de bens, serviços e do nosso capital humano também. Até 2022, nossa meta é atingir menos de 30% de perdas na distribuição de água, posicionando a Paraíba entre os menores índices do Brasil”, pontuou.

O post Quase 40% da água se perde antes de chegar a torneiras na PB apareceu primeiro em Portal Correio.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.