Nacional de Furacões passou a considerar Dorian como um furacão – e não mais apenas uma tempestade tropical – na tarde desta quarta-feira.

Com o furacão Dorian, a Porto Rico – um território dos Estados Unidos não incorporado – pode receber mais de 15cm de chuva e sofrer inundações, especialmente nas montanhas centrais, diz o “New York Times”.

É o primeiro teste para a ilha desde o furacão Maria, em 2017, que devastou o lugar e deixou mais de 4,6 mil mortos. Duas semanas antes, Porto Rico também tinha sido atingido por outro furacão, o Irma.

“Estamos mais bem preparados do que quando o furacão Maria atacou nossa ilha”, declarou a governadora de Porto Rico, Wanda Vázquez, durante uma entrevista coletiva.

Carros fazem fila para combustível em Mayaguez, Porto Rico, na terça-feira (27). Foi ordenado um congelamento de preços, para evitar o aumento exagerado no preço de combustível. — Foto: Ricardo Arduengo/Reuters

Carros fazem fila para combustível em Mayaguez, Porto Rico, na terça-feira (27). Foi ordenado um congelamento de preços, para evitar o aumento exagerado no preço de combustível. — Foto: Ricardo Arduengo/Reuters

A governadora também afirmou que as preparações para a tempestade estavam mais de 90% concluídas: escolas foram fechadas mais cedo nesta quarta (28), servidores públicos foram dispensados e abrigos de emergência foram preparados para dezenas de milhares de pessoas.

Vázquez também ordenou um congelamento de preços, para evitar o aumento exagerado no preço de combustível.

Preparações no Caribe

Trabalhadores voluntários removem árvore caída em Brighton St. George, Barbados, depois que a tempestade tropical Dorian atingiu a ilha na terça-feira (27). — Foto: Nigel R Brown/Reuters

Trabalhadores voluntários removem árvore caída em Brighton St. George, Barbados, depois que a tempestade tropical Dorian atingiu a ilha na terça-feira (27). — Foto: Nigel R Brown/Reuters

Quando ainda era tempestade, Dorian passou pelas ilhas de Martinica, Santa Lúcia e São Vicente e Granadinas. Em Barbados, aonde chegou na terça (27), a tempestade derrubou a energia elétrica em muitas cidades do norte da ilha, mas as autoridades afirmaram que o transporte público e o comércio voltariam a funcionar até o final desta quarta-feira (28).

Depois de passar por Porto Rico, Dorian deve seguir para a ilha de Hispaniola, que é dividida entre a República Dominicana e o Haiti, segundo o Centro Nacional de Furacões americano em Miami.

A República Dominicana também incrementou os preparativos para a tempestade já na terça-feira (27). Juan Manuel Mendez, diretor do centro de operações de emergência, disse que as autoridades identificaram três mil edifícios que podem ser convertidos em abrigos, com capacidade para até 800 mil pessoas.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.