Uma quarta vítima de estupro, atribuído ao homem preso na noite da segunda-feira (1º), foi identificada pela Polícia Civil, conforme informações divulgadas nesta quarta-feira (3). O homem foi preso suspeito de aliciar e abusar sexualmente de mulheres, usando um aplicativo na internet para atraí-las.

De acordo com a delegada Luísa Nascimento, uma das responsáveis por investigar o caso, a quarta vítima reconheceu o homem por imagens veiculadas na imprensa. No entanto, nesse caso, a conduta do suspeito foi diferente.

A jovem, de 23 anos, relatou à Polícia Civil que foi abordada pelo suspeito quando estava em um ponto de ônibus, no bairro do Gramame, em João Pessoa. Ela foi obrigada a segui-lo e, então, estuprada em um local próximo ao bairro Colinas do Sul.

Segundo a delegada Luísa Nascimento, provas indicam que o suspeito praticou, pelo menos, quatro estupros, com intervalos de 7 e 15 dias entre eles. Em três casos, ele fez contato com as vítimas por meio de um site de anúncios de compra e vendas de produtos, por meio do qual oferecia falsas vagas de emprego para atrair as vítimas para um local isolado e estuprá-las.

“No interrogatório, ele não demonstrou nenhum sentimento de arrependimento, culpa ou remorso pelo que fez às vítimas. Disse que era uma pessoa religiosa, sem vícios, sem passagem pela polícia e que praticou os estupros porque ‘deu uma doideira’ na cabeça dele”, afirmou a delegada Luísa.

As delegadas Luísa Nascimento e Helena Aguiar Vilela, que atuam na Delegacia de Atendimento à Mulher da Zona Sul de João Pessoa, declararam que solicitaram a prisão temporária contra o suspeito, que, conforme os relatos das vítimas, fazia ameaças com uma arma.

Apesar disso, a delegada Luísa Nascimento não descarta a hipótese de que o suspeito tenha praticado outros estupros. Por isso, denúncias podem ser feitas na Delegacia da Mulher, no bairro do Geisel, ou por meio do disque 197.

LEIA TAMBÉM:

Deixe seu comentário