O Ministério da Educação (MEC), respondeu, na tarde dessa segunda-feira (3), à carta enviada pelos governadores do nordeste, que contestavam os dados divulgados pelo Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb). O levantamento mostrava a precariedade da educação nos estados nordestinos, inclusive na Paraíba.

Leia também: PB tem índices precários de educação, longe da média nacional

Em nota, o MEC diz não ser possível aceitar um índice em que os alunos se enquadrem em níveis baixíssimos de aprendizagem, e usou o exemplo da matemática para explicar os dados negativos. De acordo com o Ministério, alunos saem do 5º ano sem terem domínio das quatro operações matemáticas.

“Tomando como exemplo a matemática, considerou-se inadequado que os alunos saiam do 5º ano sem pelo menos resolver problemas envolvendo o pleno domínio das quatro operações fundamentais, das características do sistema de numeração decimal, das noções centrais de frações e números decimais, o que apenas acontece, nessa nova interpretação se os alunos estiverem no nível 6 de proficiência. Sem isso, as chances de reprovação no 6º ano são grandes”, diz a nota.

Ainda nessa segunda-feira (3), a Secretaria de Estado da Educação contestou  os resultados do Ideb. De acordo com o secretário Aléssio Trindade, os dados “não refletem de forma fidedigna a realidade da Educação Básica da Paraíba, sobretudo no desenvolvimento do Ensino Médio”, disse.

Confira a carta enviada pelos governadores da Bahia, Ceará, Paraíba, Pernambuco, Piauí e Rio Grande do Norte.

O post PB contesta dados da educação e MEC diz que ‘níveis são inaceitáveis’ apareceu primeiro em Portal Correio.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.