A Comissão Federal de Comunicações dos Estados Unidos (FCC) aprovou na última quinta-feira (12) o uso de uma nova plataforma, chamada C-V2X, que conecta carros entre si e com sinais de trânsito. Em uma decisão unânime, a comissão votou por uma proposta que transforma algumas ondas de rádio na frequência de 5,9GHz exclusivas para uso do C-V2X.

A proposta da FCC libera faixas para uso do novo sistema, porém, lança uma sombra sobre um rival mais antigo, o DSRC, que nas últimas duas décadas teve direito exclusivo para uso da banda de 5,9GHz.

O objetivo da proposta é o de “alcançar uma abordagem equilibrada que melhore a segurança dos automóveis e promova mais inovações sem fio em benefício do povo americano”, afirma a FCC.

A agência estuda há anos o que fazer com a banda de 5,9GHz, que inclui uma faixa de 75 megahertz de largura. Sua proposta divide essa faixa em três partes. Os 45MHz inferiores seriam para uso não licenciado, o que significa que é gratuito para qualquer pessoa usar para transmissões de rádio. Os 20MHz superiores seriam exclusivos para o C-V2X. Os 10MHz restantes estariam destinados ao DSRC – isso se pessoas que utilizam o serviço conseguirem convencer a FCC de que ele ainda é funcional. Caso contrário, a faixa passa a ser dedicada ao C-V2X.

Montadoras nada satisfeitas

Algumas montadoras estão descontentes com a proposta do FCC. De acordo com a Associação de Fabricantes de Automóveis Globais e a Aliança de Fabricantes de Automóveis, a ideia “arrisca vidas, retarda a inovação e contraria o que a Comissão ouviu de especialistas de segurança”.

Os grupos ainda afirmam que as montadoras estão prontas para utilizar toda a faixa de 75MHz disponível, e que a FCC deve “proteger as comunicações contra interferências prejudiciais, incluindo tecnologias não licenciadas”.

Em uma carta enviada à FCC, o presidente-executivo da Ford, James Hackett, disse que a empresa está disposta a compartilhar o espectro de 5,9GHz com usos não licenciados, mas apenas se houver uma demonstração conclusiva de que qualquer outro uso das ondas de rádio não afeta o funcionamento do C-V2X.

Uso das redes móveis

A tecnologia C-V2X tem previsão de chegada ao mercado em 2022. A ideia é que ela se conecte ao 5G para que os carros possam se comunicar com semáforos e outros equipamentos de trânsito para garantir maior segurança.

Atualmente, alguns veículos se conectam a internet 4G para transmitir informações como sua localização, direção e até velocidade. Com o 5G, as possibilidades podem ser expandidas. Especialistas preveem que o carro pode decidir quem tem a preferência em uma conversão ou quando se deve parar em uma placa de sinalização. Além de ajudar veículos autônomos a decidir o momento correto para trocar de faixa com base na localização dos outros carros que estão por perto.

Via: Cnet

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.