No primeiro trimestre, Paraíba registra redução de 24% em assassinatos; Cajazeiras tem diminuição de 71%

O trabalho das forças de segurança da Paraíba segue reduzindo as ocorrências de assassinatos no estado. De janeiro a março, a diminuição do número de ocorrências chegou a 24% com...


O trabalho das forças de segurança da Paraíba segue reduzindo as ocorrências de assassinatos no estado. De janeiro a março, a diminuição do número de ocorrências chegou a 24% com 77 casos a menos do que no mesmo período de 2018, quando foram registrados 317 Crimes Violentos Letais Intencionais (CVLI) – homicídios dolosos ou qualquer outro crime doloso que resulte em morte.

Os dados do Núcleo de Análise Criminal e Estatística (Nace) da pasta foram divulgados nesta terça-feira (2), apontando também redução de 63% no número de assassinatos de mulheres na Paraíba. Enquanto que no primeiro trimestre de 2018 foram registrados 30 casos de mortes com vítimas do sexo feminino, de janeiro a março deste ano foram 11 ocorrências.

Em relação às Áreas Integradas de Segurança Pública (Aisp), previstas na Lei Complementar 111/2012, das 22 existentes 17 alcançaram redução no registro de assassinatos: Cajazeiras e Queimadas (-71%); Solânea (-70%); Monteiro e Bayeux (-67%); Campina Grande zona leste (-57%); Esperança (-47%); João Pessoa zona sul (-41%); Mamanguape (-36%); Santa Rita e Patos (-28%); Itabaiana (-25%); Picuí e Itaporanga (-20%); Campina Grande zona oeste (-15%); Guarabira (-8%), João Pessoa zona norte (-3%).

Destaque nacional – Nesta segunda-feira (1), a Paraíba foi destaque em publicação de ‘O Globo’, sobre redução de assassinatos no Brasil. O texto afirma que a Paraíba segue na contramão do crescimento de homicídios no país, junto com outros sete estados da federação (Alagoas, Espírito Santo, Mato Grosso, Minas Gerais, Paraná, Piauí, São Paulo) e o Distrito Federal.

Na matéria, ‘O Globo’ também frisa que a Paraíba é um exemplo elucidativo de que o combate à violência não se resume à repressão, mas também abrange a prevenção. É dado como exemplo a tomada de medidas que levaram ao aumento da apreensão de armas, com a aprovação da Lei 9.708/2012, que bonifica os agentes de Segurança Pública pela retirada desse material das ruas, e da realização de um levantamento para saber os tipos de crimes mais cometidos e onde eles ocorrem, que permite concentrar esforços nessas áreas.

Desde 2011, 24.540 armas de fogo foram apreendidas pelas forças de segurança da Paraíba, sendo 633 revólveres, pistolas, espingardas, entre outros armamentos retirados de circulação somente no primeiro bimestre deste ano. Os números são resultado da política de repressão à circulação ilegal de armas de fogo no estado, que instituiu bônus pecuniário para apreensões, previsto na lei.

 

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

Escreva seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Adicine um comentário

Escreva seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

MAIS DO

Continue lendo Compartilhar no Whatsapp