Índia começa a exportar vacinas contra covid-19, mas não para o Brasil

A Índia começou a exportar vacinas contra covid-19, mas deixou o Brasil de fora da lista de seis países que receberão as primeiras doses dos imunizantes ainda essa semana. Em...

por


A Índia começou a exportar vacinas contra covid-19, mas deixou o Brasil de fora da lista de seis países que receberão as primeiras doses dos imunizantes ainda essa semana. Em nota publicada pelo governo indiano, a exportação será para as seguintes nações:

  • Butão
  • Ilhas Maldivas
  • Bangladesh
  • Nepal
  • Mianmar
  • Ilhas Seychelles

A nota governo da Índia ainda cita outros três países compradores, Sri Lanka, Afeganistão e Ilhas Maurício, indicando que o fornecimento de vacinas a outros países seguirá em etapas nas próximas semanas e meses.
A Índia ainda diz que as exportações não irão prejudicar os estoques de vacinas contra covid-19 para abastecer a demanda interna. O texto não menciona qual imunizante será enviado aos países.

Importação de vacinas contra covid-19 da Índia ao Brasil

O governo indiano não fez qualquer menção ao Brasil, apesar de o presidente Jair Bolsonaro ter previso a importação de vacinas fabricadas na Índia para um futuro próximo.

O governo federal, inclusive, chegou a enviar um avião no dia 14 de janeiro para buscar 2 milhões de doses prontas da vacina de Oxford fabricada pelo Instituto Serum. No entanto, na ocasião, a Índia disse que ainda era cedo para discutir os termos da exportação, pois a campanha de vacinação no país estava apenas começando.

No fim, o avião enviado pelo governo Bolsonaro não chegou nem a sair do Brasil, enquanto o presidente disse que a viagem poderia ocorrer dentro de poucos dias. Nesta segunda (19), foi a vez do Ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, falar sobre a negociação, novamente, sem definir um prazo concreto.

“Todos os dias nós temos tido reuniões diplomáticas com a Índia. O fuso horário é muito complicado. Não há uma resposta positiva de saída até agora. Está sinalizado para os próximos dias desta semana o embarque da carga para cá”, disse o ministro.

Crise diplomática entre Brasil e Índia

O imbróglio que faz a Índia não priorizar o Brasil nas exportações de vacinas contra covid-19 pode ter sido causado pelo fato de o governo brasileiro ter passado meses atacando a proposta dos indianos de abolir as patentes (direito de propriedade) dos imunizantes para combater a pandemia. Um resultado direto dessa proposta seria a liberação da fabricação de vacinas em laboratórios ao redor do mundo, o que ajudar a suprir a demanda global por vacinas contra covid-19.

Nesta terça (19), em reunião fechada da OMC (Organização Mundial do Comércio), o representante indiano disse que o “pior dos pesadelos” se confirmou: não há vacinas suficientes para abastecer o mundo. Ao contrário da postura adotada ao longo de 2020, o Brasil manteve-se em silêncio durante o debate sobre o tema.

“Um grande número de instalações de fabricação em muitos países com capacidade comprovada para produzir vacinas seguras e eficazes são incapazes de utilizar essas capacidades devido a novas barreiras de propriedade intelectual”, alertou o governo indiano.

Avalie o Texto.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

Escreva seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Adicine um comentário

Escreva seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.