inclusao feminina sera destaque no blockcrypto expo 2019 - Inclusão feminina será destaque no BlockCrypto Expo 2019

A história tem mostrado como as mulheres são capazes de abrir caminhos para novas conquistas. Na área de tecnologia, não poderia ser diferente: elas estão sempre em menor número nas reuniões de negócios, meetups, eventos, cursos de atualização, etc. Mas apesar da pouca representatividade, elas não desistem de encontrar mecanismos para fazerem suas vozes serem ouvidas.

“O que vemos no nosso setor é um reflexo da sociedade. Não faltam pesquisas apontando o imenso gap de gênero em áreas STEM – Ciência, Tecnologia, Engenharia e Matemática”, afirma Liliane Tie, community builder da Women in Blockchain Brasil.

Foi por conta deste gap que ela e Delza Carvalho decidiram, em 2017, criar um grupo para estimular a participação feminina nas discussões sobre nova economia e Blockchain. As duas tomaram a iniciativa ao perceberem que eram as duas únicas mulheres a participar dos primeiros eventos deste nicho. “Caiu nossa ficha de que precisávamos fazer alguma coisa para incentivar as mulheres”, explica Liliane.


Feedly: assine nosso feed RSS e não perca nenhum conteúdo do Canaltech em seu agregador de notícias favorito.

Ela define a Women in Blockchain como um movimento, uma rede aberta, por enquanto mais presencial do que digital. A maioria se conhece tanto no ambiente virtual quanto no físico.

Ao longo do seu trabalho como community builder, ela percebeu que precisaria adaptar a comunicação para públicos distintos, tanto de perfis profissionais quanto de recortes geracionais. “Já falamos para gestores de empresas, mulheres empreendedoras, empreendedores sociais, estudantes universitários, adolescentes e até crianças”, conta. Como já não dá conta de tudo sozinha, ela tem buscado identificar e incentivar outras community builders. “Nessa jornada, estamos experimentando uma gestão horizontal e por meio das palestras, workshops e curadoria em eventos, já ajudamos outras mulheres a se projetarem também”. As community builders mais ativas atualmente são Marcela Gonçalves, no Rio de Janeiro, e Graziela Brandão, em Campinas.

Mas nem tudo são flores. Ela revela que, nos bastidores, já ocorreram situações de assédio e outras ainda mais inusitadas envolvendo machismo, sexismo e cyberbullying. “Tentamos direcionar da melhor forma, ativando nossa rede de apoio. Mas infelizmente estes problemas acabam nos consumindo também”.

Como em todo grupo que busca representatividade, existe expectativa em relação ao futuro do país e ao futuro da própria Women in Blockchain Brasil. “Precisamos fazer parte das transformações digitais para construir um futuro com mais equidade”, aponta Liliane.

No BlockCrypto Expo 2019, Liliane e suas companheiras da Women in Blockchain vão facilitar um debate sobre Blockchain no Empreendedorismo Feminino. O intuito é dar exemplos de modelos de negócios inovadores que podem nos ajudar a ganhar tempo numa luta que já se arrasta por séculos e mostrar que as mulheres estão fazendo a diferença, utilizando tecnologia e no caso, Blockchain, para empreender e proporcionar um pouco mais de justiça social a outras mulheres e suas famílias. Outro assunto importante a ser abordado está relacionado às novas leis de proteção de dados pessoais.

“Estamos vivendo tempos difíceis, mas precisamos nos inspirar, conhecer mais exemplos e seguir em frente. Muita coisa está mudando e o tempo é o melhor aliado das transformações para melhor”, finaliza Liliane.

Sobre o BlockCrypto Expo 2019

O BlockCrypto Expo 2019 é o maior encontro sobre criptoeconomia e Blockchain da América Latina. Seu objetivo é disseminar conhecimento sobre a nova era financeira e tecnológica e abrir discussões sobre os mais variados temas dentro do universo das cryptos, colaborando com a transformação digital pela qual caminha o mercado financeiro.

O objetivo do evento é consolidar-se como uma plataforma de fomento para as novas tecnologias que vem revolucionando a forma como as pessoas fazem negócios.

Leia a matéria no Canaltech .

Trending no Canaltech:

Deixe seu comentário