O Hospital da FAP em Campina Grande divulgou nota para avisar que está suspendendo parte das cirurgias na unidade a partir desta quinta-feira (21). A medida emergencial ocorre por causa da falta de água que afeta a cidade depois de uma pane elétrica em uma estação de tratamento da Cagepa.

Leia também: Polícia apura se incêndio em estação da Cagepa foi criminoso

Segundo o texto, somente serão mantidas as cirurgias de emergência de natureza oncológica e as obstétricas de emergência. Conforme a nota, o serviço que permanece normal é a hemodiálise.

Veja abaixo a nota na íntegra, publicada no Facebook do hospital.

“É de conhecimento público o recente fato acontecido com relação ao abastecimento de água potável à nossa cidade e região, que implicou na redução da disponibilidade do líquido.

No momento do acontecido, tínhamos em nossos reservatórios reservas suficientes para superar o tempo de redução do abastecimento, cuja previsão seria de cinco a sete dias.
Na ocasião a FAP decidiu não reduzir as cirurgias e o serviço de hemodiálise, que estão sendo realizadas normalmente até hoje.

No entanto, tendo em vista que o consumo não está sendo reposto – estamos recebendo água apenas das 14 as 16:30h, mesmo assim, em vazão reduzida – e diante da nova medição realizada hoje, às 16h, nosso estoque – considerando o quadro do momento – é suficiente para mais quatro dias, ou para até domingo, 24.

Diante disso, a FAP resolve suspender as cirurgias eletivas a partir de amanhã, 21, sendo mantidas apenas aquelas de emergência de natureza oncológica e as obstétricas de emergência.

Com relação ao serviço de hemodiálise, todos os atendimentos serão mantidos.
Contando com a compreensão de todos, a FAP reforça o compromisso de bem servir à população paraibana, informando ainda que, caso o abastecimento seja normalizado, retomaremos o ritmo normal desses procedimentos”.

O problema

Desde o dia 15 deste mês, Campina Grande e outras oito cidades da região estão sem água nas torneiras por causa de uma pane elétrica na estação de tratamaneto Gravatá, na cidade de Queimadas.

A Cagepa adotou um esquema emergencial de abastecimento no começo desta semana, dividindo a cidade em áreas, mas moradores reclamam que o serviço não funcionou e continua faltando água. A estatal foi autuada pelo Procon-CG por má prestação de serviços e publicidade enganosa.

Diante do caos, um comerciante distribui água gratuitamente para moradores do bairro da Liberdade, na Zona Sul da cidade.

O post Hospital suspende parte das cirurgias por causa da falta de água em CG apareceu primeiro em Portal Correio.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.