O tenente Erivaldo Moneta da Silva, assassinado no dia 10 de setembro, durante fuga de 92 apenados da penitenciária Dr. Romeu Gonçalves de Abrantes, o PB 1, foi promovido ao posto de Capitão da Polícia Militar. O ato de promoção assinado pelo governador Ricardo Coutinho (PSB) consta na página 2, da edição desta quinta-feira (4) do Diário Oficial do Estado (DOE).

Na madrugada do dia 10, bandidos atacaram o PB1 e explodiram o portão principal da casa de detenção.

A ação que possibilitou a fuga dos presos foi realizada por ao menos 20 bandidos, que estavam fortemente armados e chegaram em quatro carros. O objetivo teria sido resgatar quatro detentos que fazem parte de uma quadrilha de roubo a bancos. Eles foram presos recentemente em Lucena, na Região Metropolitana de João Pessoa. Os bandidos chegaram atirando nas guaritas e detonaram explosivos no portão principal. Muitos outros presos acabaram aproveitando a oportunidade para escapar da unidade prisional.

Tenente foi atingido com tiro na cabeça

O tenente Erivaldo estava na sede da Academia de Polícia Civil (Acadepol), no momento em que foi atingido com um tiro na cabeça. O prédio fica na rodovia estadual PB-008, que fez parte da rota de fuga dos detentos. Uma equipe do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) prestou os primeiros socorros ao policial e o levou para o Hospital de Emergência e Trauma Senador Humberto Lucena. A morte de Erivaldo Moneta da Silva foi confirmada pela assessoria de comunicação do hospital.

O post Estado promove policial assassinado durante fuga no PB1 apareceu primeiro em Portal Correio.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.