SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) – Para 4 a cada 10 brasileiros, o presidente Jair Bolsonaro (PSL) não fez nada de muito positivo ou que mereça destaque em seus seis meses de governo. O cenário está em levantamento do Datafolha feito nos dias 4 e 5 de julho.

Incitados a responder livremente (não foram dadas opções) o que o
presidente teria feito de melhor até então, 39% dos entrevistados
responderam “nada”.

Esse percentual sobe para 45% entre mulheres e pessoas com apenas o
ensino fundamental, para 46% entre negros, para 47% no Nordeste, para
52% entre adeptos de religiões de matrizes africanas e para 76% entre
quem avalia o governo como ruim ou péssimo.

Entre os que afirmam que votaram em Bolsonaro no segundo turno, 17% disseram não ter nada a destacar de muito positivo.

Dos entrevistados que responderam, 8% consideram que houve avanços na
segurança, 7% mencionaram a reforma da Previdência, 4% afirmam que
houve combate à corrupção e 4% citaram os decretos de flexibilização do
posse e porte de armas. O fim do horário de verão foi apontado por 1%.

Os que mais se referiram à segurança como o melhor do governo foram
os homens e habitantes do Norte e do Centro Oeste (11%) e os partidários
do PSDB (20%).

Por outro lado, quando questionados o que Bolsonaro teria feito de
pior, 18% disseram que nada. Esse número passa para 22% entre os
evangélicos, para 24% na região Sul, para 25% entre os amarelos e os que
têm 60 anos ou mais e para 36% entre os que avaliam o governo como
ótimo ou bom.

Os decretos das armas aparecem em primeiro lugar entre as iniciativas
ruins, mencionados por 21% dos entrevistados. O repúdio é maior entre
os negros (25%), quem avalia o governo como ruim ou péssimo (27%) e
espíritas (28%).

Logo em seguida na lista de piores medidas vêm reforma da Previdência
(12%) e imagem pública (9%) -este último quesito inclui declarações
consideradas desnecessárias, uso de palavras ofensivas, postura em
relação aos filhos e articulação política.

Outros 3% elegeram os cortes de verbas na educação e 1% citaram
racismo ou homofobia e aumento do desemprego, entre outras respostas.

A pesquisa ouviu 2.086 pessoas com mais de 16 anos, em 130 cidades. A
margem de erro é de dois pontos percentuais, para mais ou para menos, e
o índice de confiança é 95%.

Essa última pesquisa do Datafolha indicou a consolidação de uma
divisão política do país após seis meses do governo de Bolsonaro. O
Brasil está rachado em três.

Para 33%, o presidente faz um trabalho ótimo ou bom. Para 31%,
regular, e para outros 33%, ruim ou péssimo. Com variações mínimas, é o
mesmo cenário que se desenhou três meses atrás, no mais recente
levantamento do instituto.

Com isso, Bolsonaro se mantém como o presidente em primeiro mandato
com a pior avaliação a esta altura do governo desde Fernando Collor de
Mello, em 1990.

O post Datafolha: 4 em 10 dizem que Bolsonaro não fez nada de positivo apareceu primeiro em Portal do Litoral PB.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.