Dois irmãos venezuelanas, um menino de um ano e quatro meses e uma menina de seis anos, estão internado na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital Infantil do Valentina, em João Pessoa, em situação de desidratação e desnutrição. A situação das famílias foi descoberta após uma denúncia anônima feita ao Corpo de Bombeiros na tarde da terça-feira (11). Várias crianças foram atendidas pelo Samu, em uma vila localizada no bairro do Róger, em João Pessoa.

De acordo com a secretária executiva de Saúde de João Pessoa, Ana Giovana Medeiros, adultos e crianças estão vivendo em condições subhumanas. Além da falta de alimentação, há muita sujeira no local. As crianças que precisam de maiores cuidados estão sendo conduzidas ao Hospital do Valentina.

Nesta quinta-feira (13), pelo menos dez crianças com idades entre um mês e oito anos estão internadas no hospital. Duas delas estão na UTI. Algumas crianças reveleram que não se alimentavam há cinco dias.

Os principais problemas encontrados são casos de subnutrição, apneia, pneumonia e diarreia. O trabalho de avaliação clínica e atualização de vacinas está sendo feito pela secretaria de saúde principalmente para que não haja piora no estado de saúde das crianças que, no momento, está estável.

Uma campanha promovida pela Rede Paraíba de Comunicação está arrecadando alimentos para os venezuelanos que estão vivendo em situação precária.

As doações podem ser entregues diretamente a Assis Nóbrega, que comanda a Ação Natal Sem Fome, na Paraíba, ou os interessados podem entrar em contato com ele por telefone (9 8743-5779) para que ele possa buscar em local a ser combinado. No entanto, para que a busca seja feita por ele, é necessário que o doador tenha, pelo menos, dez quilos de alimentos a serem doados.

Na terça-feira (11), de acordo com o médico do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), Luiz Viera, que estava junto às equipes do bombeiros e outros médicos do Samu examinando as crianças, foi observada uma situação preocupante.

“Há cerca de 30 a 40 venezuelanos em situação de muita sujeira, crianças pálidas e desnutridas. Foi nos falado que eles estavam com diarreia e febre. Ainda não sabemos informar que tipo de doença estão, mas é preciso que a Secretaria de Saúde e Conselho Tutelar se mobilizem porque são muitas crianças que correm risco”, disse o médico.

Um dos venezuelanos moradores da vila estava com uma criança doente. Na casa dele tinha apenas farinha de trigo para comer. Apesar disso, ele rejeitou que a criança fosse levada a um hospital. Um outro morador explicou que eles pagam R$ 400 de aluguel, mas, como não conseguem trabalhar, dependem do dinheiro que pedem na ruas e não conseguem suprir as necessidades.

No fim da tarde da terça-feira (11), equipes da vigilância epidemiológica da Secretaria Municipal de Saúde e do Conselho Tutelar da região norte chegaram à vila para avaliar a situação das famílias e das crianças. Segundo a Secretaria de Saúde de João Pessoa, a situação segue sob investigação.

fonte:(g1pb)

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.