A Defesa Civil de João Pessoa adiou para a próxima quarta-feira (4) a divulgação do relatório com as prováveis causas do rompimento de um reservatório de água ocorrido no último domingo (24), na sede da Companhia de Água e Esgotos (Cagepa), na Avenida Diogo Velho, em Jaguaribe. A informação é do coordenador do órgão, Noé Estrela.

O prazo inicial para divulgação do relatório seria esta sexta-feira (29), mas, em entrevista à Rede Correio Sat, o gestor informou que o “relatório é complexo e é necessário prudência em sua conclusão”. A Defesa Civil decidiu aguardar o término do prazo de 10 dias estabelecido pelo Ministério Público da Paraíba (MPPB) para que a Cagepa prestasse informações sobre o incidente.

“Pedimos informações sobre o reservatório que rompeu e também sobre outros que foram inaugurados na mesma época, em 1969. Temos intenção de fazer vistorias nesses locais para prevenir novos incidentes. Se não houve trabalhos de manutenção efetivas com o passar dos anos, é provável que haja novos rompimentos. É isso que queremos evitar”, explicou Noé Estrela.

O coordenador da Defesa Civil de João Pessoa comentou ainda a informação de que o reservatório que rompeu estava sem manutenção preventiva há seis anos. Para ele, o prazo foi muito longo. “Numa estrutura que se utiliza ferragem, seria viável uma vistoria a cada dois anos para verificar se existia necessidade de alguma manutenção”, opinou.

Depois do rompimento do reservatório, foram realizadas duas vistorias: uma na mesma tarde do incidente; outra, no dia seguinte. Segundo o diretor de Operações e Manutenção da Cagepa, Joaquim Almeida, parte da estrutura externa de ferro do reservatório estava enferrujado. O local iria passar por manutenção ainda neste ano, mas a estrutura não suportou a água.

* Com colaboração de Sandra Macedo, da Rede Correio Sat.

O post Adiada divulgação de relatório sobre rompimento em reservatório apareceu primeiro em Portal Correio.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.